Curso de Direito da FA7 recebe o prof. Marcelo Neves na sua aula inaugural
08/08/2016
Regina Beatriz Tavares da Silva
10/08/2016

Revista Jurídica da FA7 recebe uma das maiores classificações de periódicos nacionais

A Comissão Avaliadora Qualis/Capes, do Ministério da Educação, avaliou hoje a Revista Jurídica da FA7 como B1, uma das maiores classificações de periódicos nacionais. Ao todo, foram avaliados 143 pedidos de classificação e reclassificação dos periódicos da área do Direito. A análise foi feita com base no atendimento às regras que foram parcialmente alteradas pelo Conselho Técnico-Científico (CTC) da CAPES.
A Revista Jurídica da FA7 passou por uma reestruturação a fim de se adequar aos novos rumos científicos da Instituição, passando a ter periodicidade semestral e publicação apenas eletrônica. O periódico materializa a produção acadêmica de pesquisadores voltada à linha de relações privadas e desenvolvimento, área de concentração do Programa de Pós-graduação em Direito, que foi criado no final de 2015. A Revista é publicada ininterruptamente desde 2005 com periodicidade anual e destina-se à divulgação de artigos científicos, resultados de pesquisa, ensaios, traduções e resenhas.
Os critérios para avaliação dos periódicos jurídicos nacionais foram:

  1. Critérios mínimos: Editor responsável; Conselho Editorial; ISSN; Linha editorial; Normas de submissão; Periodicidade; Pelo menos um número do ano anterior publicado; Dupla avaliação cega por pares de pelo menos 75% dos artigos; Mínimo de 14 artigos por volume; Afiliação institucional dos autores e dos membros do Conselho Editorial e do Corpo de Pareceristas ad-hoc; Títulos, resumos e palavras-chave/descritores em português e inglês; Data de recebimento e aceitação de cada artigo;
  2. Exogenia de conselho editorial, autores/coautores e pareceristas ad-hoc em relação à unidade da federação da Instituição responsável pelo periódico,tomando-se como referência a menor das três em cada um dos três números submetidos a avaliação.
  3. Índice de impacto do JCR, SJR ou Google Acadêmico ou indexação no Web of Science, Scopus para o para o estrato A1, valorizando-se, também, a indexação no SciELO para o estrato A2, e sempre que respeitado o limite fixado pelo CTC de ter menos periódicos no estrato A2 do que no A1.

 

Para conferir o conteúdo da Revista e as regras de publicação: www.uni7setembro.edu.br/revistajuridica

Para saber mais sobre a avaliação da Comissão Qualis/Direito/Capes: www.capes.gov.br