XII Encontro de Iniciação Científica da FA7

Anais

"Era uma vez": Efeitos desenvolvimentais dos gêneros textuais na aquisição da escrita.

Relato de Pesquisa
Autor Principal: MARA COSTA SOUZA
Área: Pedagogia
Professor Orientador: Prof. Dr. Fábio Delano Vidal Carneiro
Outros Autores:
Antônia Jhoselany Sampaio Martins

Resumo

Trabalho de Iniciação Científica Tema: “Era uma vez...” Efeitos desenvolvimentais dos gêneros textuais na aquisição da escrita. Nome dos autores: Antônia Jhoselany Mara Costa Souza Introdução O objetivo deste trabalho é verificar a interface entre oralidade e escrita no processo de letramento no primeiro ano do ensino fundamental. Foram coletados recontos de livros que foram distribuídos para os alunos em sala. Os recontos foram feitos em uma aula de uma turma de primeiro ano do ensino fundamental no dia 25 de Abril de 2016, durante uma aula de produção escrita mediada pela professora regente de uma escola privada de ensino básico. A autora do texto foi uma criança de seis anos no contexto de uma turma de 16 alunos. Do ponto de vista das coordenadas físicas, trata-se de uma escola privada em que estudam alunos de classe média de uma grande cidade de grande porte. A escrita do texto foi motivada pela consigna da professora, em meio ao processo de letramento e escrita com alunos que nesta etapa do ano alcançaram o nível alfabético de escrita. A aluna-autora escreve no intuito de atender a consigna da professora, endereçando-se aos seus pares-colegas de classe-, e a professora regente. A aluna-autora faz o seu reconto interpretando ela mesmo, a personagem da história, ou seja, coloca-se no lugar da personagem para fazer sua narrativa. Ela inicia o texto escrevendo: “ Era uma vez uma menina..., e dando continuidade ao texto, ela refere a menina como sendo ela mesmo: “ Uma manhã eu ouvi...” Entender uma aula de leitura interativa, nessa perspectiva, há também uma necessidade de permitir a “colocação em cena” de atividades formativas genuínas, e no caso deste trabalho, de práticas de leitura em sala de aula que exerçam de maneira sistemática a aberta a função de preparar pessoas capazes de perceber a língua não apenas como conjunto idealizado de normas, mas que a utilizem pragmática e conscientemente, na medida do possível, para entrarem e participarem do fluxo comunicativo humano (Carneiro, 2011).