PENSADOR DO SEMESTRE

2019.1


J ean-Jacques Rousseau, filósofo, teórico político, escritor e compositor autodidata suíço.Considerado um dos principais filósofos do iluminismo e um precursor do romantismo, nasceu em Genebra em 28 de junho de 1712, filho de Isaac Rousseau e Suzanne Bernard.

Casou-se com Thérèse Levasseur com quem teve cinco filhos, todos entregues a orfanatos por ele sentir-se pobre e doente.

Foi professor de música e autor de óperas, entre as quais “As Musas Galantes” e “O Adivinho da Aldeia”.

A convite de Denis Diderot, escreveu sobre música para a Enciclopédia.

Em termos religiosos, foi calvinista, depois católico e, em seguida, retornou ao calvinismo.

Foi autor do “Discurso Sobre a Origem e os Fundamentos da Desigualdade Entre os Homens”, do “Discurso Sobre as Ciências e as Artes” e “Sobre a Economia Política”, este para a Enciclopédia.

O romance “A Nova Heloísa” expressa sua personalidade romântica.

Suas principais obras foram “O Contrato Social” e “Emílio”, esta consiste em um ensaio pedagógico, que foram condenados pelas autoridades francesas em 1762.

Redigiu um projeto de Constituição para a Córsega.

Em “Confissões”, Rousseau procura explicar sua vida e sua visão de mundo, seus sentimentos, suas emoções.

Em 1767, redigiu “O Dicionário da Música”.

Sobre política, escreveu também “Considerações Sobre o Governo da Polônia”.

Em 1771, escreveu “Os Diálogos - Rousseau, Juiz de Jean-Jacques”.

No ocaso de sua vida, escreveu “Devaneios de Um Caminhante Solitário”, com descrições da natureza e sobre sentimentos humanos.

Ao longo de sua vida teve alguns amores e inúmeras paixões. Além de algumas mulheres, sua maior paixão foi a música.

Por defender ideias contestadoras das estruturas políticas, sociais e ideológicas de sua época, foi perseguido e perambulou por diversos países, sempre em busca da felicidade e da liberdade. Procurava conciliar sua teoria à sua prática. O amor à liberdade se sobrepunha à sua segurança pessoal.

Faleceu em 2 de julho de 1778, em Ermenoville (norte da França).

Por fim, descansou em paz no aconchego da natureza que tanto cultuou. Seu corpo perdeu a forma humana, se decompôs; suas ideias se espalharam pelo mundo e foram acolhidas por quem possui sensibilidade para entendê-las e, sobretudo, praticá-las.

Sob orientação do prof. Nelson Campos, os encontros sobre Rousseau acontecem no auditório do Direito (2º andar), às 17h, com inscrição gratuita (botão abaixo) e cada um vale 3 h/a de atividade complementar.

  • 28 de fevereiro, quinta-feiraRousseau, vida e obra. O Iluminismo e o seu contexto histórico, as bases da Revolução Francesa

    Convidados: Prof. Nelson Campos (UNI7) e Prof. Luís Távora Ribeiro (UFC)
  • 28 de março, quinta-feiraRousseau no limiar entre o Iluminismo e o Romantismo

    Convidados: Profa. Juliana Diniz e Prof. Gustavo Cabral (ambos da UFC)
  • 22 de abril, segunda-feiraA Origem e os Fundamentos de Desigualdade entre os Homens

    Convidado: Prof. Luiz Felipe Netto de Andrade e S. Sahd (UFC) e Prof. Raul Nepomuceno (UNI7)
  • 30 de maio, quinta-feiraConcepções pedagógicas em Rousseau, Fundamentos e princípios em “Emílio”

    Convidados: Profa. Ana Maria Iório Dias e Prof. Sylvio Gadelha (UFC)
Posso ajudar?